A caminho da Corunha – 2ª parte da viagem pelo norte de Espanha

Depois de Santiago e das ilha Cies, seguimos para a costa leste da Galiza, partindo de Santiago até à localidade Boiro por caminhos de terra com o objectivo de conhecer esta costa, nomeadamente as ruínas Castro de Borona, povoado do sec I DC construído numa pequena península acessível por caminhos pedestres. Nesse dia ficámos ainda acampados no cimo de um monte lá perto com uma vista impressionante sobre toda a costa. De seguida seguindo o percurso em direcção a Corunha começando em Santiago, fizemos um pequeno desvio para conhecer a cascata de Ézaro e o parque natural Monte e lagoa do Louro onde acampámos no parque de campismo. Paisagem lindíssima com as dunas a separar a lagoa do mar. No dia seguinte continuámos o percurso para norte e no final do dia fomos ao primeiro banho no mar do norte numa piscina natural, a salvação para o Miguel que com o mar revolto impossibilitava as brincadeiras na água. Ficámos a noite em campismo selvagem junto a uma plantação de milho onde tínhamos almoçado no dia anterior, único local que encontrámos suficientemente escondido. Continue reading “A caminho da Corunha – 2ª parte da viagem pelo norte de Espanha”

Advertisements

Pelo lado selvagem de Portugal- 2ª etapa – de Melides ao Algarve

Aproveitando o 2º fds prolongado de Dezembro lá fomos nós continuar a volta a Portugal. 5 jipes, arrancámos da praia de Melides em direcção à albufeira de Morgavel. É sempre tentador descer a Costa de Vicentina junto à costa, mas além de já ser zona conhecida, é mais difícil conseguir um percurso sem apanhar alcatrão. Assim, seguimos sempre pelo interior em direcção a uma cascata pouco comum na zona de Vila Nova de Mil Fontes. Dada a altura do ano, ninguém se encontra naquele fabuloso local o que permitiu um acampamento especial.

Continue reading “Pelo lado selvagem de Portugal- 2ª etapa – de Melides ao Algarve”

Pelo lado selvagem de Portugal- 1ª etapa – de Trafaria a Melides

Começámos com 5 jipes na Trafaria e mais um que se juntou na Costa da Caparica. No primeiro dia percorremos a mais que conhecida margem sul começando pela falésia da Costa da Caparica, depois Apostiça e seguidamente Arrábida até Setúbal. Percurso bem conhecido e diversificado com passagens maravilhosas como a Arriba Fossil e o Parque Natural da Arrábida. Sem grandes dificuldades, chegado a Setúbal apanhámos o ferry para Tróia e seguimos para a Comporta por estrada. Foi altura de sair da estrada para nunca mais voltar. O sol já se punha ao longe, era tempo de arranjar um local de pernoita, onde coubessem os 6 jipes mais 2 que vinham ter connosco e mais as respectivas tendas. No caminho junto ao Sado, apesar das praias bonitas, era expectável visitas dos mosquitos. A aposta foi ficarmos algures no caminho para sul, paralelo ao muito transitado gasoduto.

E foi aqui, ao inicio da noite com o inicio da areia, que começaram os atascanços que predominaram no 2º dia.  Começou logo comigo no Isuzu que só saiu com placas e uns empurrões e na subida de acesso ao local de acampamento onde alguns tiveram algumas dificuldades. No dia seguinte continuaram as dificuldades, logo com aquela grande subida no gasoduto que só os jipes mais recentes conseguiram transpor. Apesar do percurso ser conhecido e de não ser propriamente exigente, a areia mole e as várias subidas encontradas ao longo do percurso, provocaram vários atascanços que obrigaram a várias tentativas de transpor os obstáculos e à consequente diminuição da pressão dos pneus. Uma delas num “oued” antes de Melides, ainda foi necessário guincho e placas para desatascar o veículo. Coisas que fazem parte deste tipo de passeios e que servem sempre para aprender ou praticar mais algumas técnicas de condução e resgate.

Mais fotos aqui!

Férias da Pascoa – Costa Vicentina e Algarve

Algumas imagens das mini férias da Páscoa. Em tempo de contenção de custos e procura do bom tempo, resolvemos percorrer os caminhos e praias da Costa Vicentina e Serra de Monchique. Alguns já conhecidos, outros nem por isso, mas é sempre uma satisfação percorrer locais tão interessantes  e bonitos pelo nosso país.

TT invernal na Serra da Estrela

Mais uma etapa do Lisboa Istambul e desta vez com o objectivo de apanhar a Serra da Estrela com neve. Missão mais do que cumprida. Aliás, foi talvez o mais extraordinário passeio todo-terreno que fiz em Portugal. Começámos no Piodão e subimos a serra pelo lado do Sabugueiro em direcção às Penhas Douradas. Apesar de grande parte do percurso ser conhecido, a neve transformou por completo a paisagem e a progressão. Tivemos a sorte (ou a coragem…), de ser os primeiros a passar depois do nevão em grande parte dos caminhos, o que tornou a progressão mais lenta e cautelosa. Logo no primeiro dia e no primeiro contacto com neve, caminhos com ribanceiras, que sem neve não apresentavam perigo nenhum, com neve e sem rodados o risco aumentou exponencialmente. O momento mais impressionante foi a subida para as Penhas Douradas no segundo dia.  Por momentos parecia que estávamos nos países do norte. Tudo branco, sem rodados, neve no limiar da progressão. Espectacular! Infelizmente o que é bom dura pouco e depois de um almoço nas Penhas continuámos o percurso na direcção do Covão da Ponte onde demos por terminado a etapa. Ficou o desejo de querer mais, mais aventuras na neve, que tão pouco existe neste país…

 

Mais fotos aqui.

Um passeio pelo oriente, pela história e pelo pinhal

Para o fim do ano 2016 ficou reservado um passeio pela zona centro por cinco locais aqui tão perto e muito interessantes. O Buddha Eden, um jardim oriental no Bombarral de 35 hectares com réplicas de budas, pagodes e estátuas de terracota; Mosteiro da Batalha e o Convento de Cristo onde provavelmente todos nós já fomos, nem que tenha sido em criança pela escola, mas que vistos como adulto são realmente monumentos impressionantes; Pinhal de Leiria, enorme mata de pinheiros, com  grandes extensões de areia que podem ser um pesadelo para jipes. Foi aqui que fizemos o último acampamento selvagem do ano; e a Ponte Filipina junto à barragem do Cabril.

Chegado ao local da grande noite, ainda houve tempo para visitar a Sertã num agradável passeio junto ao rio.

Continue reading “Um passeio pelo oriente, pela história e pelo pinhal”

5ª etapa do Lisboa Istambul – chegada a Piodão

Mais uma etapa, desta vez acompanhamos o Zêzere até à barragem do Cabril, tendo de seguida rumado para norte em direcção ao Piodão sempre pelo cimo dos montes. Foi um passeio fácil e muito bonito, com muita variedade de terrenos e paisagens.

Mais fotos aqui:

TT ao longo do Zezere – 4a etapa do Lisboa Istambul

Mais umas imagens de mais um passeio antes do verão, desta vez ao longo do Zêzere. Muitas peripécias, alguns atascanços num passeio lento e com algumas dificuldades. Valeu-nos o Jimny que como é costume só lhe falta andar sozinho! Mas o que é bom não dura para sempre…

Album completo aqui!

TT – do Alqueva ao Guadiana

Depois de Marrocos, um pequeno passeio alentejano na companhia de amigos. Começámos logo com um acampamento num monte junto à albufeira do Alqueva, um local lindíssimo, principalmente ao nascer do sol. O passeio no dia seguinte continuou junto à albufeira seguindo-se o rio Guadiana pela margem a leste. Infelizmente muitas dos caminhos do percurso estavam fechados a cadeado o que implicou alguns kms de estrada até Pedrogão. Daqui, continuámos por pista para sul, sempre junto ao Guadiana pela margem oeste, onde montámos o segundo acampamento. Mais uma vez local muito interessante, com um caminho de acesso muito pouco visível, com vegetação que por vezes era do tamanho dos jipes. No dia seguinte, continuámos o track, passando pelo Pulo do Lobo até pouco antes de Mértola onde demos por terminado o passeio.

Ficam aqui algumas imagens do passeio: