Memórias TT – de Merzouga a Foum Zguid

Agosto de 2010, a estreia do Jimny em Marrocos, sozinho, sem Toys nem Mitsus, nas pistas do sul entre as duas maiores dunas de Marrocos. Foram 600 kms de 46º de dia e 37º à noite onde, como seria de esperar do pequeno japonês, esteve à altura dos mais crescidos. Apesar dos marroquinos com os seus KZJs insistentemente tentarem dissuadir a nossa passagem pelas zonas de areia, quem conhece o Jimny sabe do quanto este pequeno gigante é capaz. Ainda andámos meio perdidos no Erg Chigaga e acabámos por dormir com guardas dos “animais”, como eles diziam, que andavam a patrulhar a zona à procura de caçadores. O que mais custou foram as noites… dormir com tão altas temperaturas sem as modernices ocidentais não é facil…

Percurso aqui:

Advertisements

Pelo lado selvagem de Portugal- 1ª etapa – de Trafaria a Melides

Começámos com 5 jipes na Trafaria e mais um que se juntou na Costa da Caparica. No primeiro dia percorremos a mais que conhecida margem sul começando pela falésia da Costa da Caparica, depois Apostiça e seguidamente Arrábida até Setúbal. Percurso bem conhecido e diversificado com passagens maravilhosas como a Arriba Fossil e o Parque Natural da Arrábida. Sem grandes dificuldades, chegado a Setúbal apanhámos o ferry para Tróia e seguimos para a Comporta por estrada. Foi altura de sair da estrada para nunca mais voltar. O sol já se punha ao longe, era tempo de arranjar um local de pernoita, onde coubessem os 6 jipes mais 2 que vinham ter connosco e mais as respectivas tendas. No caminho junto ao Sado, apesar das praias bonitas, era expectável visitas dos mosquitos. A aposta foi ficarmos algures no caminho para sul, paralelo ao muito transitado gasoduto.

E foi aqui, ao inicio da noite com o inicio da areia, que começaram os atascanços que predominaram no 2º dia.  Começou logo comigo no Isuzu que só saiu com placas e uns empurrões e na subida de acesso ao local de acampamento onde alguns tiveram algumas dificuldades. No dia seguinte continuaram as dificuldades, logo com aquela grande subida no gasoduto que só os jipes mais recentes conseguiram transpor. Apesar do percurso ser conhecido e de não ser propriamente exigente, a areia mole e as várias subidas encontradas ao longo do percurso, provocaram vários atascanços que obrigaram a várias tentativas de transpor os obstáculos e à consequente diminuição da pressão dos pneus. Uma delas num “oued” antes de Melides, ainda foi necessário guincho e placas para desatascar o veículo. Coisas que fazem parte deste tipo de passeios e que servem sempre para aprender ou praticar mais algumas técnicas de condução e resgate.

Mais fotos aqui!